00000000000000000.jpg

Após a juíza Nicia Olga Andrade, nesta terça-feira (16), determinar o cancelamento da Assembleia Geral de Sócios do Vitória, que estava programada para o próximo dia 6 de março, o presidente do Conselho Deliberativo, José Rocha, seguiu defendendo a realização do encontro. Em entrevista à equipe dos Galáticos, o dirigente explicou o ocorrido, atacou o juiz que cuida do caso e relatou que pretende conversar com a magistrada.

“O juiz sempre tem tido uma atitude anti democrática, não querendo que seja feita eleições diretas no clube, acho que a juíza foi levada a incorrer no erro, o estatuto é claro e diz o estatuto que a assembleia pode ser convocada pelo presidente do Conselho Deliberativo. Imagine se o Conselho Deliberativo decide vender o Vitória, a sede do Vitória, o Barradão, isso é um absurdo. Quem detém o patrimônio do clube são os associados. No momento que ela ouvir a parte contrária ela vai ver que foi levada a incorrer no erro e vai rever a sua posição”, disse.

Questionado sobre a competência “exclusiva do Conselho Deliberativo em elaborar e formular o projeto de reforma do estatuto segundo interpretação sistemática dos citados dispositivos estatutários”, Zé Rocha foi enfático. “O estatuto é claro, só quem reforma o estatuto é a Assembleia Geral. Não existe nenhum dispositivo no estatuto que diz que a reforma é feita pelo Conselho, nem poderia ser, a carta maior do clube é a Assembleia Geral, não pode ser um grupo reduzido de associados do clube. Não existe nenhum dispositivo no estatuto que determina que a reforma do estatuto tem que passar primeiro pelo Conselho”, detalhou o dirigente.

José Rocha descreveu qual o próximo passo que vai adotar após o cancelamento da Assembleia. “Vamos recorrer da decisão. Vamos levar a ela o estatuto, mostrando que houve um equívoco e vamos tentar sensibiliza-la a rever essa posição. Sempre haveremos de confiar na Justiça e vamos continuar confiando na Justiça, espero que na medida que ela seja melhor esclarecida na questão, possa revisar a posição dela ou vamos a uma instância superior”, completou o presidente do Conselho.

Já o advogado do Vitória, Dilson Pereira, também entrou em contato com a equipe dos Galáticos e explicou o que foi dito pela juíza. “Só para esclarecer ao torcedor rubro negro que a juíza determinou, através de representação de estatuto do clube, que o processo de reforma se inicia no Conselho Deliberativo e se conclua na Assembleia Geral”, disse.

Por fim, o mandatáro do Conselho do Vitória mandou um recado aos conselheiros e dirigentes que comandam o clube. “O Vitória é muito maior do que esse grupo que se apoderou do clube. No passado, quem fez isso caiu, se continuar dessa maneira vão cair também. O Vitória não tem dono, o clube é do torcedor do Esporte Clube Vitória”, finalizou Zé Rocha.

Fonte: Bocao News

Anúncios

Sobre jorgequixabeira

Sempre gosto de postar nóticias verídicas, pois zelo pela credibilidade do que posto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s